Alimentos Ricos em Fibras

As fibras podem ser classificadas em dois grupos: fibras solúveis (geram maior saciedade, reduzem o colesterol, triglicerídeos e glicemia) e fibras insolúveis (aumentam o bolo fecal e aceleram o trânsito intestinal).

As fibras solúveis são encontradas em alimentos como: aveia, feijão, lentilha, ervilha, soja, frutas e verduras. Já as fontes de fibras insolúveis são: farelo de trigo, linhaça, verduras e frutas

A recomendação diária de fibras para um adulto saudável é de 25 a 30g ou 10 a 13g de fibras para cada 1.000 kcal ingeridas. Para crianças (acima de 2 anos) e adolescentes (até 20 anos), a recomendação é igual à idade, mais 5g de fibras/dia. Para os idosos, recomenda-se de 10 a 13g de fibras para cada 1.000 kcal ingeridas.

Para alcançar esta quantidade estipulada para cada perfil é necessário uma dieta variada, que contenha, em todas as refeições, algum alimento rico em fibras como: farelos, aveia, frutas, verduras, legumes, grãos, sementes ou pão integral. A dieta deficiente em fibras contribui diretamente para o aumento de peso e constipação intestinal (prisão de ventre). Pode gerar, a longo prazo, o aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer de intestino. Além disso, a imunidade pode ficar comprometida, pois as fibras aumentam a produção das bactérias benéficas que inibem o crescimento de bactérias patogênicas (malignas). Com isso, o sistema imunológico fica fortalecido, prevenindo casos de infecção gastrointestinais

Por: Fabiana Barreto - CRN 9294
A hypermarcas não se responsabiliza pelo conteúdo técnico-científico deste material

1. STUMP, Sylvia Escott. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 9 ed. São Paulo: Roca, 1998.
2. MURA, Joana D´Arc Pereira; SILVA, Sandra Maria Chemin Seabra: Alimentação, Nutrição e Dietoterapia. 1 ed. São Paulo: Roca, 2007.
3. STURMER, Joselaine: Comida: um santo remédio. 1 ed. São Paulo: Vozes, 2003.
4. BALCH, James; STENGLER, Mark: Tratamentos naturais. 1 ed. São Paulo: Campus, 2005.
5. MCARDLE, William; KATCH, Frank; KATCH, Victor: Fisiologia do exercício - Nutrição, Energia e Desempenho. 5 ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2003.